Pixi.

Pixi is a creative multi-concept WordPress theme will help business owners create awesome websites.

Address: 121 King St, Dameitta, Egypt
Phone: +25-506-345-72
Email: [email protected]

GTIN (Global Trade Item Number) e e-commerce

  • Por Josele Delazeri
  • 11 de junho de 2021
  • 0 Comentários
  • 69 Visualizações

 

GTIN e e-commerce

Primeiramente, você que é empreendedor deve estar se questionando. O que é GTIN?

Bem como, se há aplicação do GTIN no seu negócio.

Então, o GTIN descreve uma família de estruturas de dados globais GS1.

Por fim, que empregam 8, 12, 13 ou 14 dígitos e podem ser codificados em vários tipos de suportes de dados. 

Atualmente, GTIN (Global Trade Item Number) é usado principalmente em códigos de barras.

Conforme, ele aparece como uma sequência de dígitos localizado logo abaixo do código de barras.

Bem como,  serve para identificar a individualidade de um produto.

Ao mesmo tempo, os produtos de varejo também são conhecidos como unidades de consumo.

Ou unidades básicas. 

Do mesmo modo, os produtos à venda em uma loja de varejo.

Ou online devem ser identificados com um GTIN.

Conforme, todos nós já ouvimos sobre as mudanças provenientes do Google ao adicionarem o GTIN.

Maior visibilidade nos mecanismos de busca

Inclusive, as maiores vantagens em sua utilização são maior visibilidade nos mecanismos de busca.

Além disso, exatidão em suas informações.

Ainda, um requisito crucial para acesso à novas plataformas, como marketplaces, por exemplo.

Mediante o exposto, recentemente, o Google endossou oficialmente.

Enfim, a necessidade de os fabricantes licenciarem GTINs para suas marcas.

Portanto, enfatizou novamente a necessidade de identificação correta do produto GTIN. 

Assim sendo, a identidade do produto é essencial no comércio eletrônico.

Em vista disso, porque garante que os visitantes online entendam com precisão a origem.

Também a identidade única de um produto.

 

 

 

 

Figura: Secretaria da Fazenda

Como incluir identificadores exclusivos de produto nos dados do produto no Google

Portanto, você deve enviar identificadores diferentes de acordo com o tipo de produto. 

Assim sendo, o Google recomenda o envio dos três atributos (gtin, brand [marca] e mpn).

Então, já entendemos o que é GTIN.

Agora, vamos compreender marca e mpn.

Portanto, marca é o nome da marca de cada produto. 

Logo, o Google exige que você adicione este campo ao seu feed em todos os casos. 

Conforme, a única exceção  é para itens customizados.

Portanto, nos casos em que você terá marcado o campo “identificador existe” como “falso”. 

Mas, se você oferece produtos customizados, você também pode usar a sua própria marca nesse campo.

Já, o MPN é um identificador exclusivo emitido pelo fabricante. 

Se o seu feed já possui um GTIN, o MPN  não é obrigatório. 

Mas, não tendo GTIN, o Google exigirá que você inclua o MPN e a marca. 

Ao mesmo tempo, a exceção  para bens customizados também se aplica aqui.

Deste modo, com o objetivo de otimizar o desempenho dos anúncios das listagens.

Bem como, ajudar os usuários a encontrar seus produtos.

via GIPHY

Cores e tamanhos diferentes

Se o produto tiver cores e tamanhos diferentes.

Então, você tem identificadores exclusivos do produto para cada uma dessas variantes. 

Por exemplo, se você vender uma camiseta nas cores azul, vermelho e verde.

Logo, será necessário enviar o atributo de cor e um gtin exclusivo para cada variante.

Segundo o Google o objetivo da atualização das especificações do FEED.

Assim, tem como objetivo tornar mais fácil e precisa a identificação dos produtos anunciados.

Acima de tudo, é preciso lembrar que o Google prima pela melhor experiência para o usuário final.

via GIPHY

E se eu não tiver GTINs?

Logo, existem 2 possibilidades:

Não existe um GTIN para seus produtos, porque eles são exclusivos, feitos à mão, vintage.

Ou não fabricados em massa. 

Assim, basta definir o campo “identificador existe” como False e você ficará bem.

Por outro lado,  existe um GTIN para seus produtos, mas você não o tem. 

Deste modo, você precisa encontrá-lo e inseri-lo em sua loja.

Ou pelo menos em seu feed. Existem várias maneiras de fazer isso:

Portanto, nada de trapaça. Isso não vai funcionar. Você pode inserir números aleatórios como GTIN. 

Mas, o Google está conectado a todos os bancos de dados GTIN e eles verão instantaneamente.

Então, que você os está alimentando com os GTINs errados.

Em resumo, fornecer um GTN no feed do Google é obrigatório.

Se seu produto tiver um GTIN atribuído pelo fabricante. 

Não só enriquece e melhora os seus anúncios.

Mas, também os ajuda a aparecer nos motores de busca. 

Portanto, é importante que você forneça o máximo de informações relevantes que puder.

De acordo com o guia de especificações de feed do Google.

Com isso, para que o Google possa classificar seu produto da melhor maneira. 

Também dará mais visibilidade ao tipo certo de cliente para seu produto e aumentará as conversões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *