Pixi.

Pixi is a creative multi-concept WordPress theme will help business owners create awesome websites.

Address: 121 King St, Dameitta, Egypt
Phone: +25-506-345-72
Email: [email protected]

Fábricas Ford: o que o tema tem a ver com e-commerce em 2021?

  • Por Josele Delazeri
  • 19 de janeiro de 2021
  • 0 Comentários
  • 33 Visualizações

O ocorrido com as Fábricas Ford no Brasil é o retrato do cenário dos negócios no século 21.

As mudanças são tão rápidas que às vezes fica difícil processar, né?

Acima de tudo a única certeza no ambiente de negócios é a mudança. 

Em outras palavras estabilidade não existe.

Por exemplo, alguns fatores levaram a Ford a tomar a decisão de parar de fabricar no Brasil.

E, assim, se tornar uma importadora.

Contudo, a alta e complexa carga tributária e os custos de logística contribuíram de forma expressiva para a decisão da Ford.

Todavia preferiu focar seus investimentos em produção de veículos em outros países. (Uol)

O cenário de negócios do século 21 é caracterizado por tendências e eventos em constante mudança.

Ou seja, que acontecem com tanta rapidez que pegam a maioria dos líderes de negócios de surpresa. 

Por isso, é justo dizer que a única constante neste século é a mudança. 

Nesse sentido, os empreendedores devem estar preparados para lidar com mudanças.

Essas são rápidas e repentinas ao mesmo tempo.

Imediatamente, percebe-se a importância do autodesenvolvimento de seus talentos.

Então, você deve nutrir suas habilidades, criar um ambiente em que sua criatividade possa florescer e se expandir.

O case fábricas Ford e o lojista

Em outras palavras, o que quero dizer é que você lojista precisa se adaptar a nova realidade do varejo.

A velha máxima empresarial de que “a mudança é a única constante” ganhou um novo significado.

Afinal, estamos na era da transformação digital e, agora, do distanciamento social. 

Empreendedores e estrategistas de negócios falam de ruptura. 

Mas e se a velocidade da mudança for tão forte que ponha em questão a própria definição de ruptura? 

É o que aconteceu com as fábricas da Ford.

Talvez seja hora de atualizar essa máxima clássica para refletir as realidades de inovação atuais.

E se preparar para uma nova década de marketing impulsionado pela tecnologia. 

Uma década em que a transformação contínua é o novo normal.

Agora, para manter os clientes engajados, além da integração com o digital as lojas físicas devem oferecer experiências.

Desde que não apenas mantenham as pessoas seguras, e se adaptem às novas condições, mas também criem momentos de satisfação.

Atualmente a escolha do cliente vem sob o microscópio.

No ambiente de hoje, os clientes se preocupam menos com a variedade de opções.

E mais com a disponibilidade. 

E isso pode mudar a maneira como muitos varejistas operam. 

À medida que diferentes países passaram para o status de bloqueio e as lojas de varejo “não essenciais” fecharam suas portas.

Definitivamente, os varejistas que conhecem seus clientes tiveram uma clara vantagem.

A principal luta dos varejistas

A maioria dos varejistas luta com uma questão fundamental.

Essa questão não é se a empresa deve estar online.

 E, sim, qual é a maneira mais eficaz de conectar as experiências do cliente no espaço online com as do espaço offline?

Enfim, o cenário do varejo mudou em questão de semanas, estamos falando do varejo moderno.

Assim, devido a um aumento esperado e ao advento do efeito de 2020 no comércio, a indústria do comércio eletrônico está proliferando. 

A cada dia, mais varejistas estão migrando para a venda online.

Enquanto os empreendedores estão começando por meio de empreendimentos de comércio eletrônico.

Por fim, a evolução do comportamento do comprador ilumina novas prioridades para pontos de contato de compras online.

Redefine nossas expectativas de conveniência do comprador em relação ao preço e lança novas perspectivas sobre o valor crescente dos anúncios de comércio eletrônico e de mídia social. 

Melhores amigos do e-commerce

Ao passo que chatbots, email marketing, públicos semelhantes, remarketing e mídia social continuarão a ser os melhores amigos do comércio eletrônico. 

Eles se tornarão mais eficazes com a análise avançada de big data, experiências personalizadas e custos de anúncios otimizados.

Então, dizer que 2020 foi diferente seria um eufemismo enorme. 

As vitrines foram digitais, as mesas da cozinha se transformaram em salas de conferência e a forma como vivemos, trabalhamos e fazemos compras geralmente, foi virada de cabeça para baixo. 

O que não mudou para as empresas, no entanto, é a importância de fornecer uma excelente experiência ao cliente. 

Desde já novas economias e tecnologias criaram uma nova jornada do cliente.

O case fábricas Ford nos mostra que não há especialistas em futuro.

Há pessoas dispostas a aprender.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *