Pixi.

Pixi is a creative multi-concept WordPress theme will help business owners create awesome websites.

Address: 121 King St, Dameitta, Egypt
Phone: +25-506-345-72
Email: [email protected]

E-business: as diferenças em relação ao e-commerce

  • Por Josele Delazeri
  • 7 de fevereiro de 2022
  • 0 Comentários
  • 56 Visualizações

E – business: as diferenças em relação ao e-commerce

Primeiramente, a ascensão da Internet pavimentou o caminho para uma variedade de novos modelos de negócios que muitas empresas têm usado de forma eficaz. 

Principalmente, compreender as nuances da terminologia associada a essas novas oportunidades é um primeiro passo importante para qualquer pequena empresa que esteja procurando desenvolver uma presença online mais forte. 

Embora os termos e-commerce e e-business frequentemente sejam usados alternadamente, na verdade há uma grande diferença entre eles.

Vender online? A diferença entre e-business e e-commerce pode parecer uma distinção sem importância para você fazer, mas muito depende de saber essas diferenças!

E-commerce

Em primeiro lugar, o e-commerce se refere especificamente a transações online envolvendo a compra ou venda de bens ou serviços. 

Por exemplo, a venda de livros no site da Amazon.com é um exemplo de atividade de e-commerce. 

Acima de tudo, as pequenas empresas podem se expandir desenvolvendo um modelo de negócios em torno do e-commerce, alcançando clientes em locais distantes sem ter que lidar com o custo de locais físicos.

Geralmente  o e-commerce requer o uso de apenas um site.

Tipos de modelos de e-commerce:

via GIPHY

Business to Consumer (B2C) – um modelo de negócios de comércio eletrônico em que uma empresa vende bens ou serviços a um consumidor individual. 

Por exemplo, quando um único consumidor compra roupas online.

Business to Business (B2B) – um modelo de negócios de comércio eletrônico em que uma empresa vende seus produtos ou serviços para outra empresa. 

Por exemplo, uma empresa online que vende serviços de produção de vídeo para outras empresas usarem em suas campanhas de marketing.

Consumidor para Consumidor (C2C) – um modelo de negócio de comércio eletrônico em que um consumidor individual vende seus bens ou serviços a outros consumidores. 

Por exemplo, uma pessoa que vende seus discos vintage pessoais por meio de uma plataforma online como o eBay.

Consumer to Business (C2B) – um modelo de negócios de comércio eletrônico em que um consumidor individual vende seus produtos ou serviços para uma empresa. 

Por exemplo, um influenciador online que se oferece para promover um negócio para seu público mediante o pagamento de uma taxa.

E-business

Embora o e-business também cubra as transações online que constituiriam o e-commerce, ele cobre uma ampla gama de outras atividades além da compra e venda de bens e serviços. 

Portanto, pode-se dizer que o e-commerce é um subconjunto do e-business. 

Sobretudo, as atividades de e-business podem incluir praticamente todos os elementos da gestão de uma empresa, simplesmente transferidos para um ambiente online.

Então, o e-business requer o uso de vários sites, CRMs, ERPs que conectam diferentes processos de negócios.

Em um mundo movido pela tecnologia, pode ser difícil dizer quais empresas são realmente e-business. 

Talvez a melhor maneira de entender os negócios eletrônicos seja com a ajuda de exemplos:

O marketing por email para clientes existentes e / ou potenciais é uma atividade de e-business. Ele conduz eletronicamente um processo de negócios – neste caso, marketing.

Também, uma empresa que constrói e vende um sistema online que rastreia o estoque e dispara alertas em níveis específicos é um e-business. 

O gerenciamento de estoque é um processo de negócios e, quando facilitado eletronicamente, torna-se parte do e-business.

Bem como, um sistema de gerenciamento de conteúdo que gerencia o fluxo de trabalho entre um desenvolvedor de conteúdo, editor, gerente e publicador é outro exemplo de e-business. 

Na ausência de um fluxo de trabalho eletrônico, o movimento físico dos arquivos de papel conduziria esse processo. 

Ao habilitá-lo eletronicamente, ele se torna um e-business.

Ferramentas online

Assim, ferramentas online para recursos humanos podem ser produzidas por um e-business. Essas ferramentas incluem quadros de empregos online, processadores de aplicativos e sistemas que coletam e mantêm dados sobre os funcionários.

Por vezes, muitos processos descritos como e-business podem ser tratados internamente por meio da rede de uma empresa ou podem ser algo que a empresa terceiriza para um provedor especializado em qualquer serviço desejado. 

Ao produzi-los internamente, os negócios padrão podem incorporar alguns elementos do e-business em seus planos – os dois tipos de negócios não são mutuamente exclusivos.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.